Buscar
  • Raul Duarte

5 pesquisas sobre música que você não sabia.

1. Pesquisadores do MIT descobriram que os circuitos cerebrais ligados à música e à fala estão em lugares diferentes do cérebro. Uma área é desconectada da outra e só se ativam quando a música é cantada. O que isso quer dizer?

Que o cérebro reconhece a música como uma categoria tão importante quanto a fala.

E que talvez a música seja mais antiga que a fala e as línguas.

Portanto, a importância da música em nossa vida, vai muito além das sensações. A sensibilidade musical pode ser muito mais fundamental para nosso cérebro que a percepção da fala.


2. Pesquisadores da universidade da Escócia analisaram mais de 36 mil pessoas e chegaram à conclusão que fãs de música clássica e heavy metal têm personalidades parecidas. Além desse resultado, eles categorizaram as músicas com as respectivas personalidades.

Esse estudo poderá ser muito útil para os marqueteiros de plantão e para a indústria da música, sempre em busca de novas alternativas ao mercado.

Segue lista:


Blues – boa autoestima, criativos, extrovertidos, gentis, de bem com a vida.

Jazz - boa autoestima, criativos, extrovertidos, de bem com a vida. Música clássica - boa auto-estima, criativos, introvertidos, de bem com a vida.

Rap - boa autoestima, extrovertidos.

Ópera - boa autoestima, extrovertidos, gentis.

Country – Trabalhadores, extrovertidos.

Reggae – boa autoestima, criativos, pouco trabalhadores, extrovertidos, gentis, de bem com a vida.

Dance – criativos, extrovertidos, rudes.

Indie – baixa autoestima, criativos, pouco trabalhadores, rudes.

Rock/heavy metal – Baixa autoestima, criativos, pouco trabalhadores, introvertidos, gentis, de bem com a vida.

Pop – boa auto-estima, pouco criativos, trabalhadores, extrovertidos, gentis, agitados.

Soul – boa autoestima, criativos, extrovertidos, gentis, de bem com a vida.


3. Pesquisadores da Universidade de Toronto, em um experimento com 144 crianças, concluíram que os participantes de grupos com aulas de música aumentaram seu desempenho acadêmico e QI.

Já sabemos que o cérebro dos músicos têm um desenvolvimento diferente, o que os torna mais alertas, mas aumentar o QI foi uma novidade muito interessante!


4. Pesquisadores da Universidade da California testaram os efeitos da música clássica, pop e jazz para o relaxamento de pessoas depois de acontecimentos estressantes.

Pop e Jazz tem efeito restaurativo igual a ficar em silêncio. Em compensação, a música clássica fez baixar a pressão sangüínea para níveis normais de forma muito mais rápida.


5. Pesquisadores da Coreia do Sul concluíram que as plantas crescem muito mais rápido se estiverem em um ambiente com música.

Segundo os cientistas, as plantas têm genes que as permitem "ouvir".


#raulduarte #musica


33 visualizações

Raul Duarte | +55 11 3845 1995 3842 6270| raulduarte@raulduarte.com.br | © 2018 por Raul Duarte

  • Instagram
  • facebook